Agenda

15/11/2017

15/11 – Palco Aberto com Nathalia Bellar e banda

Nathalia Bellar  nasceu na belíssima cidade de João Pessoa. Começou a mostrar grande interesse pela música aos 15 anos, quando ganhou seu primeiro violão. Cantou em grupos escolares e eventos religiosos. Aos 19, entrou para o teatro, onde atuou por 04 anos. Depois da riquíssima experiência como atriz, eis que a música torna-se seu principal ofício de vida e arte.

A estreia como cantora aconteceu aos 21 anos, quando também iniciou sua trajetória musical na noite. Seu trabalho começou a ser reconhecido para além das fronteiras de João Pessoa. Fez participações importantes em shows de artistas de renome nacional, a exemplo de Daniela Mercury e Tunai.

Em 2012, a canção PRA DURAR – seu primeiro desafio como compositora – foi selecionada para compor a coletânea em disco da MOSTRA SESC DE MÚSICA PARAIBANA, importante projeto voltado para os novos compositores. Tratava-se de um blues com pegada pop e poesia simples.

Encantou-se pelo samba, gênero que a levou a idealizar seus primeiros shows em palcos maiores.

Incansável, expandiu suas fronteiras sonoras e adentrou por outros diversos gêneros da Música Popular Brasileira.

Entre 2015 e 2016, lançou dois projetos importantes contemplando seu lado intérprete e homenageando grandes cantoras da música popular brasileira. O show “Elis Vive! ”, onde saudava a obra de Elis Regina, e o show “Dona do Dom”, uma bela saudação à Maria Bethânia.

Em 2016, criou o projeto “Crua”. Uma série de web clipes realizados de maneira simples, orgânica e original, onde canta e toca versões de canções consagradas e parcerias suas com outros compositores.

No início de 2017, lançou sua segunda canção autoral.

O single “ESTRANHO MUNDO” ganhou as plataformas digitais e em breve será oficialmente lançado com um videoclipe.

A cantora ainda se prepara para iniciar as gravações de seu primeiro disco, que tem lançamento previsto para 2018.

Dennis Luiz Bichara Bulhões começou sua educação musical aos 7 anos de idade. Enquanto seus pais ouviam canções em casa, o garoto acompanhava as melodias “batucando” nos objetos que tinha por perto.

Por volta de 1996, começou a estudar flauta doce em um curso de extensão da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), com a professora Luceni Caetano, aprendendo assim os princípios da teoria musical.

Depois de um ano, passou a ter contato com a percussão através dos professores Odair Salgueiro e Francisco Xavier, também na UFPB. Ao mesmo tempo, tocava em casa um tarol, dado por um vizinho, e o trompete, na banda da Escola Cenecista João Régis Amorim.

Em 2009, concluiu o bacharelado em Música da UFPB onde se especializou em Percussão, orientado pelo professor Francisco Xavier.

O músico também teve aulas particulares e participou de vários workshops com os bateristas Glauco Andreza, Carlos Balla, Márcio Bahia, Kiko Freitas, Edu Ribeiro, Dave Weckl, Steve Smith, Peter Erskine, Ari Hoenig, Ian Froman, Donald Edwards, Dennis Mackrel, Dafnis Prieto, Antonio Sanchez, Greg Hutchinson, Jeff Hamilton e Jeff “Tain” Watts.

Já atuou como baterista e percussionista com diversos grupos e artistas tanto no Brasil, como no exterior, a exemplo de Sivuca, Maria Creuza, Marinês, Lucy Alves, Ney Conceição, Toninho Ferragute, Cezzinha, Radegundis Tavares, Antonio China, Clã Brasil, Glória Gadelha, Eli-Eri Moura, Luizinho Calíxto, Zé Calíxto, Zé Filho, Jubileu Filho, Radegundis Feitosa, Grupo Brassil, Paraíba Symphony Orchestra, Carl Winter (Dinamarca), Jimmi Roger Penderson, (Dinamarca), Li Gaoyang (China), Toll Bi (Senegal) e Patrice Gomis (França).

Participou da gravação de vários CDs como, Marinês canta Paraíba (2006), Zé Manuel (2007), Brassil Interpreta Compositores da Paraíba (2008). Também trabalhou como músico nos DVDs Sivuca: O Poeta do Som (2009), Enluarada (2012) de Lucy Alves e no do guitarrista Zé Filho (2016).

No ano de 2007, Dennis Bulhões participou como solista do Festival Odery & Modern Drummer, onde ganhou a etapa das cidades de João Pessoa, Recife e Natal, passando para a disputa nacional como semifinalista na cidade de Campinas, em São Paulo. Em 2010, foi vencedor do concurso nacional de bateria Batuka Drum Fest, realizado na capital paulista.

Em 2014, mudou-se para Nova York, onde realizou sua pós-graduação em Estudos em Bateria no Queens College. Durante esse período, compartilhou o palco com artistas como Eliano Braz, junto com Felipe Hostins, Vitor Gonçalves e Itaiguara Brandão; também com Davi Vieira acompanhado de Ze Grey e Richard Bona; com Shota Lee e os músicos Lorin Cohen, Takuya Kuroda, David Smith e Josh Deutsch.

Apresentou-se também com Brian Drye, Rob Curto, Scott kettner e Mike McGinnis. Ainda tocou com Lívio de Almeida, junto com Eduardo Belo, Hélio Alves, Dave Pietro e com a Terra Symphony Orchestra. Nesse mesmo ano, saiu em turnê com a cantora paraibana Lucy Alves por Nova York e Massachusetts.

Dennis Bulhões faz parte do quadro de músicos da UFPB desde 2009. Como educador, além de ministrar aulas de música no curso de extensão universitária da instituição, também vem realizando oficinas em várias cidades do Brasil, nos Estados Unidos e na Europa.

Fontes:

http://www.dennisbulhoes.com/Dennis_events.htm

Entrevista/Inventário/Paraíba/Criativa/Dennis/Bulhões

 

Daniel Pina iniciou seus estudos no contrabaixo acústico sob os comandos do professor Hector Jorge Rossi, no curso de extensão da Universidade Federal da Paraíba. Em 2006, Daniel ingressou no curso de música na mesma instituição, tendo como instrutor Dr. Luciano Carneiro. Em 2011, após a conclusão do curso, Daniel se mudou para Los Angeles para estudar com o renomado professor internacional, Mr. Nico Abondolo. Durante o período na Azusa Pacific University, Daniel concluiu o Artist Certificate e o mestrado, ambos focados em performance no contrabaixo. Ao longo da trajetória fez parte da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba, Orquestra da Prefeitura de João Pessoa e Orquestra Sinfônica da Paraíba. Em 2010, ganhou o prêmio ´´Jovens Solistas´´ promovido pela Orquestra Sinfônica da Paraíba. Nos Estados Unidos, participou como músico convidado da Southern California Orchestra, Pasadena Symphony e LA Daniel Pina também desenvolve um trabalho como músico popular e teve a oportunidade de produzir diversos artistas em produções de CDs e DVDs, viajando o Brasil e os

Estados Unidos para realizar performances e gravações. No meio de muitas viagens e experiências musicais únicas, fez parte do concerto de estreia da ´´Sinfonietta per Sofia´´, peça composta pelo compositor Daniel Brewbaker e realizada para Sophia Loren e convidados no Nappa Valley, California.na Symphony, e da Baton Rouge Symphony.

O show acontece no Café da Usina.

Fonte:https://portal.tce.pb.gov.br/2016/06/centro-cultural-do-tce-pb-sediara-mais-um-concerto-da-osmjp-da-serie-alberto-nepomuceno/