Agenda

30/12/2017

30/12 – Usina da Música com Chico Correia Eletronic Band

Idealizado pelo multi-instrumentista paraibano Esmeraldo Marques, o grupo se alicerça musicalmente num gênero amplo e expande os horizontes da música nordestina para muito além da afrociberdelia do mangue beat. É uma mistura da música do Nordeste com o jazz, trip hop, afrobeat, dance hall e dub jamaicano. A sonoridade proposta por Chico Correa & Electronic Band ainda conta com a ajuda de samplers, pedais de eco, scratches e programas de computador. Tudo isso harmonizando de forma caótica, correndo atrás do groove.

Esmeraldo Marques adotou o nome artístico de Chico Correa devido uma homenagem ao Chik Corea, que nos anos 1970 foi o precursor da fusão do jazz com linguagens musicais tecnológicas. O artista toca guitarra, opera bases eletrônicas e ainda comanda efeitos em tempo real durante os shows da banda. Apesar de todos os ritmos que são improvisados na sonoridade do grupo, a estrutura é sempre voltada para os grooves eletrônicos.

O projeto surgiu em 2011 com as experimentações eletrônicas que Chico Correa bolava no computador da sua casa. “Eu fazia produções caseiras com sons eletrônicos e brasileiros. Sempre chamava alguém para tocar um instrumento junto”, lembra em entrevista à Folha de S. Paulo. Foi a vontade de levar o trabalho para o palco que fez surgir a banda.

Correa, que é baiano de Juazeiro e atualmente vive em João Pessoa, também utiliza músicas folclóricas de domínio público no repertório do grupo. Isto foi resultado de pesquisa que ele desenvolveu quando foi bolsista do Laboratório de Estudos da Oralidade, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). “Trabalhei com pesquisa e documentação de cultura popular do Nordeste. Isso ajudou bastante”, diz ele na mesma entrevista.

A banda que já passou por outras formações ao longo de sua carreira, atualmente é composta por Correa, Débora Malacar, Victor Ramalho, João Cassiano e Thiago Sombra. Além de contar também com Carlos Dowling no audiovisual e produção. O grupo sempre mesclando ritmos tradicionais com elementos contemporâneos, com forte influência da música e do cancioneiro do Nordeste, misturando as influências do dub, cocos de roda e beats eletrônicos.

O primeiro álbum, e homônimo, da Chico Correa & Electronic Band foi lançado em 2006. No disco os ritmos vão do agrestewerk cangaçi-gangsta de ‘Coco de elevador’ ao eletrofunk que é a praia em que transita ‘Eu Pisei Na Pedra’, enquanto ’Mangangá’ mistura rock e maracatu, mas com uma fórmula diferente da usada pelo mangue beat. Outras pistas: ‘Bossinha’, ‘Baião Lo-fi’… A fauna humana local é representada por ‘Lelê’ (toada de saudade interestelar) e ‘Odete’ (Drum ‘n’ roots).

Em 2012, a banda lançou o EP virtual “DerivaSons”, o qual tem incluso os remixes das canções do grupo feitas por outros músicos que eram idealizadas para o álbum homônimo. Contudo devido o tempo apertado, esse plano não foi concretizado no primeiro álbum. Agora eles segue na luta para conseguir lançar seu segundo disco, Baile Muderno.

Fontes:

 

https://www.opopular.com.br/editorias/magazine/chico-correa-eletronic-band-se-apresentam-em-goi%C3%A2nia-1.217773

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u38012.shtml

http://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2015/09/banda-paraibana-concorre-patrocinio-em-evento-musical.html

https://som13.com.br/chico-correa-e-eletronic-band/biografia

http://albumitaucultural.org.br/notas/musica-para-ouvir-e-interferir/

O show acontece na sala Vladimir Carvalho.

* Serão distribuídas 200 senhas, uma hora antes do show, lotação limitada.