Agenda

27/06/2019

VERNISSAGE EXPOSIÇÃO DANGER | SERGE HUOT

Texto de apresentação

Danger, por Valquíria Farias (ABCA)

Curadora e Crítica de arte

Os trabalhos desta exposição são escrituras visuais de Serge Huot, pranchas de surfe descartadas, recolhidas na areia da praia e doadas por surfistas, retalhadas e coladas por ele como se fossem constelações, caminhos potenciais sobre afeições e pensamentos, “dobras” para “desdobras”, permitindo leituras diversas, estruturas para narrativas abertas, metáforas acerca do surfista e a seu mundo concernentes. Elas são parte das investigações estéticas que Huot realiza já há alguns anos e que discutem as formas de relações com a natureza.

Para Huot, “Danger pode ser uma metáfora da destruição da vida oceânica em qualquer lugar do planeta”. O artista, ao trazer esse alerta para o interior protegido de uma Galeria constrói uma narrativa rizomatizada em busca de começos, saídas, desvios, redes e trocas. Em vez de apontar linearidades ou explicações, a intenção de Huot é fazer com que o visitante se sinta em um território ao mesmo tempo constituído e abandonado, em meio a instalações, assemblages, gravuras, vídeos, áudios e subjetividades; de forma que ele se constitua o organismo vivo em meio a restos de pranchas, impressões de corpos, ausências, ritmos, sons de águas e vozes do artista; configurando, assim, um espaço-tempo de sensações que interessam a Huot como experiências da existência para gerar conhecimento. Para o artista, os trabalhos sugerem encontros improváveis pelo movimento dos corpos na exposição.

Embora não surfe, Serge Huot se interessou por essa prática ainda no México, antes de sua chegada ao Brasil, no final dos anos 1980: “Mas foi em 2013 que comecei a recolher e amontoar pranchas velhas doadas e que encontrava na areia da Praia de Tambaba (PB), onde moro atualmente, junto com outros objetos vomitados pelo mar, como o isopor”.

Um “surfar no surfe”, as construções de Serge Huot estão impregnadas de sensações experimentadas por ele. Por isso mesmo, não são somente objetos desusados, recolhidos, manipulados, retalhados e colados, mas construções sensíveis, visões de mundo, que nascem de “ações performáticas”, nas ondas e nas orlas, e que, por vezes, lembram as estratégias do novo realismo elaboradas por Pierre Restany, cujos escritos influenciaram Huot no início de sua trajetória, sobretudo o Manifesto do Naturalismo Integral, de 1978, sobre as águas amazônicas.

A atitude do artista de juntar coisas sem valor em seu ateliê e depois rearranjá-las em uma outra dimensão faz de sua poética uma escritura inteligente e instigante para se pensar também a relação arte-natureza-mercado na atual era de capitalismo pós-industrial, que tudo assimila rapidamente.”

Estes trabalhos com pedaços de coisas fabricadas e afetividades, por conseguinte, corroboram um certo discurso racional do artista sobre a cidade. Além da referência ao surfe como “relação ideal”, filosófica, do homem com o mar, há a fatura política que liga Danger a uma crítica real do consumo em que o próprio surfe não passa incólume. Questões como acúmulo e efemeridade das coisas são assinaturas de sua diversificada produção.

Danger, individual do artista Serge Huot
Instalação (gravuras, vídeo, objetos recolhidos na praia) produzida entre 2007 e 2018
Quando: 27 de junho, quinta-feira, 20-22h (vernissage)
Até 27 de julho de 2019, de terça a sábado, das 13h às 20h
Onde: Usina Cultural Energisa (Rua João Bernardo de Albuquerque, 243 – Tambiá – João Pessoa-PB)
Curadoria da mostra: Valquíria Farias
Curadoria da Usina: Dyógenes Chaves (98808.7877)
Organização: Gerência de Comunicação e Marketing/ Energisa
Realização: Secretaria Especial da Cultura/ Ministério da Cidadania (Lei Rouanet)
Patrocínio: Energisa Paraíba

Obs. Artista selecionado no Edital de Ocupação da Usina Cultural Energisa 2019-2020. Segunda mostra do calendário 2019 da Usina Cultural Energisa.

Contatos:
huotserge@yahoo.fr
83 99673.2600
www.usinaculturalenergisa.com.br
www.usinaocupacao.com.br

Currículo do artista

Serge Huot é artista visual. Nasceu em St. Vallier, França, em 1964. Vive e trabalha na Praia de Arapuca, Tambaba (Conde/PB). Formação: Escola de Arte Experimental – História da arte, da Arquitetura e do Urbanismo; História da crítica de arte – A Arte como dinâmica criativa da realidade – Cerâmica (Recife/PE, 1989-92). Formação em Comunicação oral (Universidade de Lyon, França, 1994). História da Filosofia (Universidade Popular, Romans sur Isere, França, 1994). Principais exposições/ Mostras individuais: 2018 – Danger (Curadoria de Valquíria Farias) – Galeria Janete Costa, Recife/PE. 2012 – Cidades Emersas – Estação Ciência Cabo Branco, João Pessoa/PB. 2006 – Arquétipos – Galeria Gaïart, Marselha, França. 2005 – Arquitetura do invisível – Galeria Studio D’Ars, Fundação D’Ars Oscar Signorini, Milão, Itália. 2004 –Arquitetura da Terra – Galeria Nothburga, Innsbruck, Áustria. 2001 – Desenhos – Museu de Arte Contemporânea, Olinda/PE; Arquitetura dos Símbolos – Museu de Romans, França. 2000 – Galeria Arte e Vento, Recife. 1997 – The Way To The Indies – Argillateatri, Roma, Itália. 1994 – Ateliê Experimental, Chantemerle Les Blés, França. 1993 – Museu de Arte Contemporânea, Olinda. Exposições coletivas: 2011 – Ocupação Oxigênio (Curadoria de Kátia Canton e Dácio Bicudo) – Parque

Buenos Aires, São Paulo. 2011 – Olhares sobre Sousa – Agosto da Arte – CCBNB, Sousa/PB. 2008 – Interrogarsi sull’Arte (Curadoria de Gianni Ottaviani) – Studio D’Ars, Milão. 2007 – CASA-D 001 – Chapada Diamantina, Bahia (Artista em Residência). 2005 – Bienal d’Ankara – “Powerty and Art” – Ankara, Turquia; Internationale Exibition – Sharjah Art Museum, United Arab Emirates – “Passagem de estado” (semanas da língua francesa). 2003 – V Internationales Bildhauerinnen Bildhauer Symposium – “Steine on Grenze” – Bucher-Forst-Berlin; Criação cenografia para “Irai Tiété Téfé”, Lyon, França. 1998 – Books&Galerie Panglos, Piza, Itália. 1997 – Color and Light – Galeria Trans, Bourg-Les-Valences, França; Performance “Diálogo entre Horácio e Virgilio”, Valence, França; Le Hors-Là, MAC, Salvador/Bahia. 1993 – 37° Salão de Inverno, Lyon, França. 1991 – Reflexão sobre uma cidade do Nordeste brasileiro – Prefeitura do Recife, Pernambuco; “Realistas Urbanos” – Teatro do Parque, Recife; Museu de Arte Contemporânea, Olinda. 1990 – Realistas Urbanos – PUC Pernambuco, Recife; Museu do Estado, Recife. Curadoria: 1992 – Interrogação de sociedade – L’Ateliê, Tournon sur Rhône, França. 1996 – Expo-Design- Internacional, Tain L’Hermitage, França. 1993-2008 – Presidente da Ong “Leão do Norte” (intercâmbio cultural Brasil-França) – criação de residência artística na região Drôme, França. 1996-2005 – Parceria com o designer Pascal Duvert e a galeria Trans, Arte-Design-Educação. Intervenção Artística Arte-Educação: 1993-2005 – Projetos artísticos para centros de animações, “Identidades/Espaço”, Vídeo/instalação e noites poéticas, Centro Social “Le Tambour”, Valence, França; Ateliês para jovens adultos: criação para desfile na Bienal da Dança de Lyon, “Le tremplin”, Bourg en Bresse, França. Ateliês “Arte, design e moda”, Lyceu Triboulet, Romans, França. Intervenção Ateliê para Formador, Pedagogia artística, Canal Arte Inserção, Lyon, França; Ateliê “Dez Palavras”, Universidade Federal de Pernambuco. Reciclagem de objeto: escultura “Totem”, Centro Social de St. Vallier, França. Intervenção em meio escolar: projeto “O Rio Reno”, Reciclagem de objeto e críticas. Reinserção social: curadoria da exposição “Da onde você veio”, Castelo de Rousillon, França. Intervenção como Artista: “Grupos de Mobilização e Reinserção Profissional-Greta”, Ministério da Educação, França; 8ª Edição “Infância da Arte”, “Visto da minha janela, a paisagem”, Villefontaine, França; “Arte Espaço Público e Cidadania”, Casa da Cultura, Valence, França. Ateliê livres: “A criatividade como equilíbrio social”. 1994-1998 – Criou o programa “Questões de Arte e de Sociedade”, Rádio Mega, Valence. Bibliografia: France 3 Rhône Alpes – jornal TV – 97/98/99 “Arte em todas as formas”, Ateliê de Arte na região Rhône Alpes, Edição Fus-Art – Artistas do ano 2000, criação Sul da França, Edição Fus-Art – “Viaje”, Poema escrito entre Dakar e Abidjan, África, Auto-edição. Vídeos: “El Hazar”, 7min; “Passagem de Asas”, 23 min; “Meu Bairro”, 27 min; “Queda”, 32min.

Contatos do artista:
huotserge@yahoo.fr
83 99673.2600