Agenda

17/06/2016

Exposição Luiz Barroso Recortes

TEXTOS DE APRESENTAÇÃO

 

Recortes e ressignificação da matéria em Luiz Barroso.

A produção de Luiz Barroso parte de uma questão que se projeta sobre suas obras: a pesquisa das diversas possibilidades de apropriação, transformação e ressignificação da matéria. Também é um recorte de sua extensa produção, em um espaço impregnado de memória afetiva projetada em seus recortes e reconfigurações de sentidos.

 

Trabalhando essencialmente com o papel, o artista corta, recorta, processa e modifica sua composição, instaurando novas possibilidades de configuração. No entanto, não se trata simplesmente de reciclagem, pois não há reutilização do papel, no sentido de provocar o retorno do que foi descartado a uma condição utilitária.

 

Sua poética está voltada para o desvelamento de um passado ainda contido na matéria, e que se apresenta latente, para a reconstrução de novos mundos, que pode ser mais intrigante e revelador que a especulação acerca do futuro. Suas obras apresentam texturas e cores que remetem à natureza, são obras monocromáticas – ou quase monocromáticas – abertas às projeções significantes e à experiência estética.

 

Em alguns momentos, símbolos religiosos e formas geométricas justapostas são incorporados à superfície. Em outros, percebemos vestígios de registros impressos, lembrando o estágio pré-caótico da pasta disforme.

 

Currículo do artista

 

Luiz Barroso é natural de Campina Grande/PB, onde vive e trabalha como Artista visual. Sua obra explora a poética, através dos elementos simbólicos, como: ‘pedra’ e as ‘inscrições primitivas’ de sítios arqueológicos, no sentido de ressignificação da matéria com a utilização da pasta de papel misturada a elementos naturais, numa dimensão alquímica do seu processo criativo. O artista já residiu e participou de projetos fora do país, a exemplo da França.

 

Na Paraíba já apresentou a instalação Pedras no caminho durante a XII Fenart (Funesc, 2008 e Estação Cabo Branco, 2009). Participou, no ano de 2015, do projeto Confluências promovido pelo Sesc-PB. Em 2014 foi artista homenageado no III Salão de Artes Visuais do Sesc-PB e em 2009 foi premiado, com a escultura Revoar, no I Concurso Jackson Ribeiro de Arte Pública (PMJP, Funjope), entre outras.

Exposição aberta ao público de 17 de junho a 17 de julho de 2016, de terça a domingo, das 14h às 20h.

Local: Usina Cultural Energisa

Rua João Bernardo de Albuquerque, 243 – Tambiá – João Pessoa-PB

Curadoria: Dyógenes Chaves

Tel: (83) 9 8808-7877

Entrada Gratuita

 

Mais Informações:

 

Gerência de Comunicação e Marketing

Energisa Paraíba / Energisa Borborema

(83) 2106-7017 / 2106-7016