Agenda

03/12/2021

Edital de Ocupação | ‘Sapiens’ EDILSON PARRA

Após quase dois anos com eventos remotos, estamos de volta! A Usina Energisa reabre suas Galerias para visitação presencial. As visitas serão monitoradas, com número limitado de pessoas por vez e seguirá todos os protocolos de segurança, tais como: uso obrigatório de máscaras faciais, disponibilização de álcool 70%, aferição da temperatura corporal na entrada e exigência de apresentação de cartão de vacinação.

Texto de apresentação
Por Raphael Fonseca, Curador e Crítico de Arte

Sapiens, Edilson Parra

Ao intitular esta exposição individual por “Sapiens”, o artista Edilson Parra inevitavelmente nos leva a essas duas palavras que tanto escutamos em nossa vida escolar: homo sapiens. Em latim, a designação científica da espécie humana pode ser traduzida como “o homem que sabe”. Mas como falar em sapiência num momento da história em que a barbárie é, mais do que notada, ostentada por muitos desses humanos que supostamente “sabem” de algo?

Parte dos trabalhos aqui reunidos dá prosseguimento às suas séries baseadas na apropriação e criação de tridimensionalidades. Partindo da noção de armadilha para fazer objetos de diferentes escalas e feitos pelo encontro de materiais naturais e industriais, Parra tem parte de seu olhar pautado em uma reflexão em torno da escultura. O encontro entre o metal e a madeira, assim como peças feitas em plástico, resina, couro e mesmo com galhos de árvore, gera imagens formalmente potentes que instigam o olhar evitando qualquer mensagem literal. A noção de colagem – tão cara à história da arte – é um ponto norteador dessa série.

Por outro lado, há um aspecto de suas novas pesquisas que gira em torno da utilização de palavras e símbolos de amplo reconhecimento cultural. Na série “Ícones da pré-história virtual”, a escala pequena do objeto é latente e a superfície das pedras é usada para ser a base de formas feitas em baixo-relevo. Imagens associadas ao ato de compartilhamento e à localização por GPS se transformam ficcionalmente em glifos. A relação entre as tecnologias digitais e a certeza de sua obsolescência futura estão diretamente relacionadas nessa espécie de arqueologia do futuro.

Diante do cenário atual a exposição sugere um encaminhamento para a questão a partir de um de seus trabalhos: “Luto”, diz em letras garrafais uma gigante faixa. A palavra pode se referir tanto ao verbo, quanto ao substantivo. A resposta de Edilson Parra parece mais voltada à ação – esse ato de lutar no campo das artes visuais pode se dar tanto pela literalidade, quanto pelo mistério das imagens. O artista parece escolher, felizmente, ambas as vias, cada uma em seu tempo.

Currículo do artista

Nascido em Sousa/PB, em 1968, Edilson Parra desenvolve pesquisas sobre armas, armadilhas e as instituições de controle social. O campo da sua pesquisa vai das feiras clandestinas de animais silvestres, gaioleiros (profissionais que fabricam gaiolas), comunidades de pescadores que utilizam instrumentos rudimentares, até os elementos que compõem a comunicação. As reflexões acerca do comportamento humano na relação com as demais espécies são a base para sua produção artística. Realizou várias exposições individuais e coletivas em museus e galerias de arte. Foi contemplado em salões e editais de artes visuais com premiações, projetos de exposições e pesquisas através de instituições e programas como Le Hors-Là – França/Brasil; Xumucuís, Funarte – Belém/PA; BNB de Cultura – Centro Cultural Banco do Nordeste – Sousa/PB; CCBNB Cariri – Juazeiro do Norte/CE e CCBNB Fortaleza/CE; Edital de Ocupação da Usina Cultural Energisa 2019-2020 – João Pessoa/PB; Capitania das Artes – Natal/RN e CCSP – Centro Cultural São Paulo.

Curadoria: Dyógenes Chaves (98808.7877)

Contatos do artista
edilsonparra@hotmail.com
(83) 9 8870.7002